Cuidados de acordo com a idade dos coelhos

  • Cuidados com os filhotes

Durante as duas primeiras semanas, o cuidado é fundamental, mas ao mesmo tempo muito simples, pois geralmente a mãe coelha realiza o processo de alimentação e limpeza dos coelhos.

Nesta fase, deve ser vital, garantir que a mãe tenha a comida de que precisa, como sabemos: o feno em ilimitado, ração, folhas verde escuras variadas e água fresca. A RSPCA diz que coelhos em crescimento / grávidas / amamentando / com baixo peso podem precisar de porções maiores de alimentação, então fique atento.

Você terá que verificar o local onde eles ficam constantemente, a fim de manter a limpeza, mas sem invadir muito o ambiente dos láparos (não totalmente, porque as fezes da mãe também podem fornecer proteção bacteriana para o futuro), além disso observe os coelhos e, o ideal é que eles fiquem todos juntos, não isolados, para que tenham uma boa temperatura corporal e se alimentem todos com a mesma quantidade de leite materno.

A temperatura e o clima onde está o ninho dos filhotes também é um ponto muito importante, pois é necessário verificar se o local está com correntes de ar, exposição à chuva, excesso de sol e possível acesso de predadores.

Durante esse processo, também é importante tocar levemente os bebês, acariciar seu estômago para saber se eles estão bem alimentados e também para aumentar o contato com o ser humano.

Por outro lado, é extremamente relevante avaliar os olhos dos coelhos, devido ao alto risco de infecções oculares que podem ocorrer, devido à pouca limpeza do ninho.

Uma das doenças comuns em coelhos bebês é a enterotoxemia, produzida por uma bactéria chamada Clostridia spiroforme, que pode estar relacionada às toxinas do tétano e do antraz. Essas toxinas causam necrose no intestino, onde as células começam a morrer, e a corrente sanguínea é contaminada, causando diarreia que pode causar a morte entre 24 a 48 horas. O que desencadeia o aparecimento dessas toxinas são: falta de higiene e superlotação; é por isso que é muito importante limpar adequadamente o local e proporcionar-lhes um ambiente de qualidade, onde não sofram nenhum perigo.

Muitos dizem que outro ponto importante é NÃO lhes dar vegetais até 4 meses, pois seu sistema digestivo está se desenvolvendo e se um filhote não recebe vegetais de maneira adequada, poderá causar diarreia, que nessa idade jovem pode acabar com sua vida. Porém sabemos que a mamãe coelha às vezes leva folhas para o nínho, que não farão mal aos bebês devido à quantidade.

Quando a ninhada nasce, é essencial chamar um médico veterinário em casa para que, anteriormente, como prevenção, recomende um medicamento para casos de diarréia abrupta e veja o estado em que os bebês estão, para dar alguma recomendação e indicação a seguir .

Em geral, podemos dizer que os cuidados com os filhotes se resumem a:

-Ambiente e ninho adequados

-Limpeza constante e alimentos frescos

-Verificação dos olhos

-Atenção ao comportamento anormal de bebês

-Toque constante no estômago do bebê para confirmar a alimentação


  • Cuidados com o coelho jovem e/ou adulto

À medida que os coelhinhos crescem, as demandas e os cuidados mudam.

O ambiente em que os coelhos passam a maior parte do dia e em seus momentos de descanso deve ser definido e equipado com todas as necessidades que esses pequenos necessitam. Como os seguintes acessórios:

Uma caixa higiênica retangular ou de canto, bem  ampla, onde ele pode fazer suas necessidades, idealmente com uma forração, evitando serragem/aparas de madeira ou areia para gatos que sejam prejudiciais ao sistema respiratório.

Bebedor de vidro, plástico ou porcelana, o qual a água estará disponível TODOS OS DIAS. Nós acreditamos que o melhor bebedouro será sempre uma tigelinha.

Porta-feno, na qual uma grande quantidade de feno é depositada e deve ser preenchida toda vez que diminui em grande quantidade, isso é chamado de "feno sob demanda", Pois corresponde a 80% da sua dieta base diária.

Tigela, onde sua ração é colocada, o ideal é que seja um pote pesado para ele não conseguir jogar para o alto.

Chão coberto com tapetes antiderrapantes, evitando todos os tipos de grades que podem danificar as patas, causando ferimentos.

Brinquedos que permitem a sua estimulação mental (túneis, bolas, etc.)

Este local deve ser seguro, livre de correntes de ar, exposição a temperaturas extremas, chuvas e umidade e livre de possíveis perigos que possam ser iminentes para eles, incluindo substâncias tóxicas.

Outro ponto muito importante é o controle da reprodução e prevenção de possíveis patologias sérias. É por isso que a castração é uma opção viável para evitar tudo o que foi mencionado acima e, assim, proporcionar uma melhor qualidade de vida.

A escovação diária também é um aspecto a considerar, pois lembremos que coelhos se lambem como gatos, mas a diferença é que eles não podem vomitar, aglomerando toda essa quantidade de pelos no estômago, causando inchaço, parando os movimentos abdominais e outras patologias que podem colocar sua saúde em risco.

Por outro lado, as visitas ao veterinário devem ser realizadas a cada seis meses, para se ter um cuidado constante da sua saúde, evitando patologias ao longo do tempo e mantendo as unhas com um corte adequado, procedimento realizado por um profissional.

A convivência com outras espécies é algo muito importante que também deve estar sob os principais cuidados, uma vez que deve haver um tempo de sociabilização e conhecimento prévio para evitar conflitos e possíveis infortúnios. Lembre-se de que os coelhos são presas de muitos outros animais e devemos ter cuidado com isso.


  • Cuidados com coelhos idosos

Coelhos mais velhos são geralmente considerados idosos quando excedem cinco anos. Entre os principais cuidados e precauções estão a alimentação, pois podem apresentar obesidade e problemas dentários.

Na alimentação, o feno deve corresponder a 80% da sua dieta diária, pois contém uma grande quantidade de fibra que ajuda o sistema digestivo a ser saudável e, portanto, a funcionar adequadamente, pois nessa idade uma intervenção cirúrgica se torna mais complexa

Mobilidade e exercícios também são algo muito importante, pois impediremos o aparecimento da obesidade, o que traz complicações como nos seres humanos, na saúde de nossos coelhos. Uma dessas complicações que afetam sua saúde é a dificuldade de saltar, se esticar e não poder comer seus cecotróficos, pois eles não têm a flexibilidade necessária, afetando bastante sua saúde.

Para esses senhores, devemos adaptar os locais do coelho, como facilitar o acesso aos alimentos, incorporar áreas de solo macio, controlar o ambiente de correntes de ar e umidade, limpar a área anal do coelho regularmente e levar o médico veterinário constantemente para avaliar a necessidade de suplementos ou revisão de anormalidades articulares ou musculares.


O que devemos levar em conta, como mudanças normais na idade, são os períodos mais longos para dormir, menos atividade, menos capacidade de lidar com o estresse, os cuidados e resguardos nesses aspectos são fundamentais.

À medida que a idade avança, eles podem desenvolver abscessos na pele, que se forem graves, podem precisar ser drenados por um veterinário especialista, portanto, devemos tocar e palpar constantemente o coelho para detectar qualquer anomalia a tempo. Outra doença que pode surgir é a pododermatite, que afeta as patas traseiras dos coelhos, causando queda de pelo nessa área, espessamento da pele, inchaço, vermelhidão e até feridas abertas. Nesse caso, você deve procurar um veterinário especializado em animais exóticos, onde ele irá avaliar sua condição óssea e presença de infecção.

Os cuidados dentários devem ser tomados com base em como e quanto os dentes crescem, porque continuam a crescer com a idade. Alguns dos sintomas que devemos considerar são trituração, saliva excessiva e dificuldade em comer. Depois de ir ao veterinário, é ele quem deve avaliar a situação e ver se deve lixar ou extrair um dente.

Em termos de visão, também devemos ter cuidados, pois, com o avanço da idade, os ductos lacrimais podem entupir-se, gerando conjuntivite e infecções oculares, de modo que a limpeza anterior do ducto ocular e lacrimal seja fundamental. Caso o coelho já tenha uma infecção visível, você deve procurar o veterinário, que irá drenar o líquido bacteriano.

Outros sintomas que devemos ter cuidados são tosses constantes, perda de apetite, perda de peso, sintomas que podem indicar problemas respiratórios ou cardíacos, que também podem ser acompanhados por espirros seguidos e secreção nasal.

O câncer em coelhos idosos pode ser muito comum, especialmente o câncer uterino em fêmeas, portanto a castração feita antes desta fase da vida permite prevenir esta doença mortal, pois é provável que coelhos não operados desenvolvam câncer de mama, útero e ovários. Neste último caso, o veterinário pode remover cirurgicamente o útero e os ovários, após detectar o câncer.

Problemas renais são outra condição que pode ocorrer na urina de coelhos, geralmente é ligeiramente turva; no entanto, se a cor e o cheiro mudarem ou se a micção for mais frequente, você deve ir ao seu veterinário para prevenir ou tratar esse problema.


Dieta por sobrepeso

Muitos coelhos estão acima do peso, isso pode ser devido à pouca atividade física que eles têm e também ao tipo de alimento que estão sendo oferecidos, talvez muitos petiscos e frutas, além de uma ração com alto teor de gordura. É por isso que lhe daremos dicas de como mudar sua dieta:

Uma dieta rica em fibras é a melhor prevenção. O coelho tem que comer muito feno (80%), vegetais (10%), frutas (5%) e ração (5%). O consumo de água potável deve ser alto e a dose diária de grânulos não deve exceder 2% do peso do coelho.

Aumente a variedade de vegetais, mas evite as cenouras, prefira os vegetais de folhas escuras e distribua-os ao longo da semana.

Evite dar muitos petiscos ou frutas. Para isso, você pode organizar um calendário no qual você distribui quais frutas ou petiscos você dará, é recomendável 1 ou 2 vezes por semana.

Brinque com seu coelho e incentive-o a se exercitar livremente. Tire mais tempo da casinha e permita que ela explore, pule e corra livremente. Estimule sua curiosidade construindo pequenas rotas e esconderijos. Isso permitirá que ele realize mais atividade física, o que, juntamente com os outros pontos anteriores, fará com que perca peso.

O coelho em transe

Ele NÃO está relaxado!

Está em um estado de medo induzido chamado TANATOSE

Também conhecido como TRANSE. É um mecanismo de defesa que o coelho se adapta para fingir que está morto diante de uma presa e depois escapar. Este é um sinal claro de que nosso orelhudo está estressado e em um ambiente que não é seguro para ele.


Quando adotar outro coelho?

Quando temos apenas um coelho em casa e ele tem toda a nossa atenção e dedicação, aparentemente as necessidades estão satisfeitas, juntamente com um bom comportamento por parte do coelho, poderíamos dizer que temos um animal de estimação feliz. Apesar do exposto, não devemos descartar a possibilidade de adotar outro coelho, uma vez que eles proporcionariam companhia um ao outro em momentos de solidão e seriam excelentes companheiros de brincadeiras. Por outro lado, em seu ambiente e habitat natural, é comum que eles sejam sempre acompanhados por um ou mais coelhos.

Em outras circunstâncias, se nosso coelho está estressado, morde excessivamente itens domésticos, não corre ou brinca, eles podem ser sinais de tédio ao se sentir sozinho ou sem a devida atenção. Considerando isso, seria importante considerar a possibilidade de adotar outro coelho, pois esses comportamentos anteriores podem ser aumentados, prejudicando a qualidade de vida de nosso coelho. Por outro lado, ter outro parceiro aumentará sua atividade física, terá companhia e receberá muito amor.


Em termos de idade, é preferível que a adoção seja realizada com poucos meses de idade e / ou se forem adultos castrados no caso de machos e fêmeas, sempre cuidando para que a idade seja semelhante, pois a convivência se torna muito mais fácil, embora isso seja apenas por recomendação.

Por outro lado, se já temos dois coelhos e um deles morre, infelizmente, é importante considerar nas próximas semanas ou meses a incorporação de outro parceiro em sua vida, pois os coelhos que sempre foram acompanhados podem ficar muito deprimidos e afetados por essa perda, afetando seu humor e qualidade de vida.

Por isso, em resumo, deixamos 5 razões para adotar outro coelho:

- Favorecerá seu comportamento social

- Compartilhar tarefas ou interesses

- Reduz os riscos de tédio, medos e depressão

- Aumentará sua vitalidade e qualidade de vida

- Ele será imensamente feliz acompanhado